Portes grátis para Portugal (excepto envios à cobrança)
  • Vita Nova

Vita Nova

17,00 €  
IVA incluído

VITA NOVA
Louise Glück

Tradução: Ana Luísa Amaral
Data de Publicação: 05/2021
Nº de Páginas: 120

 

VITA NOVA


Salvaste-me, deves lembrar-te de mim.

A Primavera do ano; jovens comprando bilhetes para o ferry.
Gargalhadas, que o ar enche-se de flores de macieiras.

Quando acordei, percebi que conseguia sentir a mesma emoção.

Recordo sons como esse da minha infância,
rir sem razão, só porque o mundo é belo,
ou algo parecido.

Lugano. Mesas debaixo das macieiras.
Marinheiros erguendo e baixando as bandeiras coloridas.
E na margem do lago, um jovem que lança o chapéu à água;
talvez a sua amada lhe tenha dito que sim.

Sons ou gestos
cruciais como
um trilho aberto a mais largos temas

depois inutilizado, enterrado.

Ao longe, ilhas. A minha mãe
oferecendo um prato com pequenos bolos —

tanto quanto recordo, sem que mudasse
um só detalhe, o momento
vívido, intacto, nunca havendo sido
exposto à luz, por isso acordei extasiada, nessa idade
sedenta de vida, em absoluta confiança —

Junto às mesas, pedaços de erva jovem, o verde pálido
disperso pelo solo escuro.

Decerto a Primavera voltou a mim, agora
não como amante, mas como mensageira da morte. Todavia,
continua a ser Primavera, e ainda quer dizer ternura.

-

SOBRE A AUTORA:
Louise Glück recebeu o Prémio Nobel da Literatura de 2020, “pela sua inconfundível voz poética, que, com uma beleza austera, tornou universal a existência individual”. O prémio da Academia Sueca reconhece um longo percurso de escrita de poesia e ensaio. Louise Elisabeth Glück nasceu a 22 de Abril de 1943 em Nova Iorque, filha de emigrantes húngaros, que se haviam fixado nos EUA algumas décadas antes. Estudou na Sarah Lawrence College e na Universidade de Columbia. Teve uma infância e adolescência difíceis, mas um contacto precoce com autores gregos e latinos permitiu-lhe acolher a herança clássica e escrever uma poesia que, através de imagens universais, aborda a fragilidade essencial dos seres humanos. É autora de mais de uma dezena de livros de poesia e de dois ensaios, Proofs and Theories (Prémio PEN/Martha Albrand) e American Originality.
Recebeu o National Book Critics Circle Award por The Triumph of Achilles e o Pulitzer por A Íris Selvagem. Recebeu também o Bobbitt Prize, concedido pela Biblioteca do Congresso, o William Carlos Williams Award da Poetry Society of America e o Ambassador Book Award da English-Speaking Union. Louise Glück foi poeta laureada em 2003 e 2004, membro da Academia Americana de Artes e Letras e escritora residente da Rosenkranz na Universidade de Yale.Vive em Cambridge, Massachusetts, nos EUA,

×