Portes grátis para Portugal (excepto envios à cobrança)
  • Os Filhos da Madrugada

Os Filhos da Madrugada

19,90 €  
IVA incluído

SKU: 9789896447038

Os Filhos da Madrugada
de Anabela Mota Ribeiro

Temas e Debates, 2021
9789896447038

«Uma maratona de entrevistas àqueles que nasceram e foram criados em tempos de liberdade, ouvindo os filhos dessa madrugada, desse dia inicial, inteiro e limpo, assim escrito por Sophia de Mello Breyner Andresen. Vinte e cinco interlocutores trouxeram o seu percurso, a compreensão política e social do país, fotografias e contrastes com a vida dos pais e avós, material que fornece um retrato concreto, particular, quotidiano do Portugal que hoje somos. Uma enfermeira que passou anos sem ouvir o pai falar da guerra colonial. Uma escritora negra. Um pastor evangélico. Um professor catedrático cujo pai trabalhava na construção civil. Uma conservadora de direita que veio com os pais de Angola. Um homem de uma família laica que se converteu ao catolicismo já adulto. Uma jovem mulher que integra o Governo de Portugal. […] Há um protagonista que emerge do programa: o conjunto dos 25, esse um plural. Apesar de procurar um mosaico polifónico, heterogéneo, complementar, a amostra é sempre incompleta. Seriam outros Portugais se os entrevistados fossem outros. Mas são estes, e formam um retrato do que se fez em quase tantos anos de democracia quantos os de ditadura.»  Da Introdução «A experiência democrática assume uma multiplicidade de sentidos contrastantes, mesmo entre uma geração que nasceu depois de 1974 e que singrou no Portugal democrático. Esta diversidade resultou do lugar de nascimento, da classe social, do contexto socioeconómico e naturalmente das escolhas de cada um – do livre-arbítrio que tem em democracia um espaço que se encontra bem mais ausente em autocracia. Djaimilia Pereira de Almeida resume estas circunstâncias novas, exclusivas da vivência democrática, talvez na declaração mais emblemática deste conjunto de testemunhos, quando afirma que ‘sempre tive o privilégio da escolha’. É nesse privilégio de poder escolher que radica a superioridade do Portugal democrático: mesmo com determinantes sociais muito poderosos e com a persistência das desigualdades como marca distintiva da sociedade portuguesa, todos estes testemunhos dão conta de descontinuidades associadas a escolhas que, no passado, não teriam sido possíveis.»Pedro Adão e Silva
×