Portes grátis para Portugal (excepto envios à cobrança)
  • Língua Bífida

Língua Bífida

15,00 €  
IVA incluído

Língua Bífida - Ensaio sobre Ecce Corpus, uma performance de António Gonçalves

Pedro Eiras

95 páginas a cores

Capa brochada

Formato: 14,5 x 20,5 cm

EAN: 9789899006805

Junho de 2021

Documenta

 

-

 

— Este é um ensaio sobre Ecce Corpus, uma performance do artista plástico António Gonçalves.

— No princípio era a performance.

— Resta saber se a performance pode ser um princípio, ou se exige algo que seja antes do princípio.

— Se algo for antes do princípio, então o princípio não é o princípio.

— Talvez seja preciso escolhermos um princípio, um certo princípio nem aleatório nem definitivo; e depois descrevermos o nosso objecto com o máximo rigor, ignorando tudo o que estiver antes e depois dele.

— Podemos tentar (com alguma inocência, e q.b. de estratégia). Aliás, já começámos, mais acima, no princípio, quando disseste (ou terei sido eu?): «Este é um ensaio sobre Ecce Corpus, uma performance do artista plástico António Gonçalves».

[…]

 

— No princípio eram as performances, e elas são múltiplas.

— Nesse caso, observemo-las uma a uma, porque cada qual é o princípio.

— O princípio, por definição, não tem de ser único?

— Talvez seja preciso desafiar as definições, pensar que pode haver vários princípios, vários singulares (que não formam um plural). E talvez cada uma dessas performances abra por seu turno para uma pluralidade de referências, jogos, linguagens, outros princípios e origens, e esses para outros ainda mais antigos.

— Vejamos então. No princípio, António Gonçalves escolheu projectar sobre o seu corpo fotografias de diversas performances de diversos artistas. Do infinito de exemplos possíveis, fez uma escolha finita, será preciso explicá-la, ou pelo menos tentar. Escolhe uma, começa.

[…]

 

— Ficámos sem saber, afinal, o que havia no princípio.

— Mas que importa, que importa o que havia no princípio?

 

[Pedro Eiras]

 

 

 

×