• Arsênico e Querosene – Antologia Poética

Arsênico e Querosene – Antologia Poética

19,00 €  
IVA incluído

Arsênico e Querosene – Antologia Poética

Alexandre Guarnieri

Tenho um convite a fazer: vamos todos para a casa do caralho ao lado desse senhor bom poeta? Sim, vamos todos ao lado de Alexandre Guarnieri, um dos nomes da poesia contemporânea brasileira, para longe daqui: do trivial, do lugar comum, do rasteiro e do chão? Voemos. Sigamos juntos pelos poemas desta antologia, segurando a mão da poesia, do requinte, da sofisticação e voz demolidoras de seus poemas. É necessário que saibas, leitor, que, avançando as páginas desta “Arsênico & Querosene”,  nunca mais serás o mesmo e que a tua ideia de poesia, essa pobre ideia que trazes sobre o que é a poesia, perder-se-á irremediavelmente. E isso é muito bom, acredite! A poesia de AG tem a força e a dinâmica daquelas coisas que, em seu frescor, mexem com estruturas estabilizadas e, desestabilizando-as, criam um novo caminho, uma nova fome, nova sede, novo deslumbramento. Não é a arte esse caminho? Os poemas de Alexandre Guarnieri trazem oxigênio à poesia brasileira e são um mergulho sem concessões na medula das coisas: da máquina ao corpo, do fogo à água, do ar ao vácuo, indo da mais sofisticada referência à mais rasteira citação pop. A poesia de Guarnieri, absolutamente contaminada pelo real, escancara qualquer pretensão abusiva de erudição, desmistificando os senhores maus poetas pela simples presença de versos iconoclastas, incisivos, de doces asperezas. Confortavelmente instalado na linha demolidora dos poetas que fazem das vísceras seus versos, Alexandre ingressa na literatura, como queria Torquato Neto, desafiando/desafinando o coro dos contentes e propondo uma nova harmonia, um novo canto, um novo samba pós-tudo, bossa-nova neo-apocalíptica mastigando engrenagens da máquina, do corpo, do coração envenenado das cidades.

Leonardo Almeida Filho

Kotter, Verão 219/2020

ISBN: 978-65-80103-79-9

280 pág.

×