Portes grátis para Portugal (excepto envios à cobrança)
  • Talvez a Dúvida

Talvez a Dúvida

«Não seremos nós a recolher os frutos

Caídos. Outros chegarão. Por dentro

Dos corpos que pairam acima das cidades

Há desejo reduzido às transparências

Da respiração demorada. Não será

 

A língua a fazer-se corpo das primeiras

Palavras da manhã. Nem será a manhã

O lugar mais evidente para a distribuição

Da leveza pelos objectos. Outros

Tomarão para si o vigor do acto,

 

A continuidade da tangência. Nós

apenas dizemos do que contemplamos,

Lambemos cinza para construir saudade

E outras pequenas devoções menos

Admiráveis. Falamos de amor, deixamos

 

A ilusão inundar dias e ruas. Contudo,

É o fogo verdadeiro que queima

As paredes das nossas casas. A solidez

E a dureza da realidade impedem-nos

O avanço para lá da solidão.»

 

Talvez a dúvida
de Rui Almeida

(capa e ilustrações de Bárbara Assis Pacheco / grafismo de Joana Pires)

×